Artigo do Mês » Guia prático de Gerenciamento de Canaril

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Varíola Aviaria

Imagem ilustrativa
Mais conhecida como Bouba, a Varíola Aviaria é uma das doenças infecciosas mais comuns entre as aves, a doença é causada por um vírus do gênero Poxvirus mais precisamente pelo Avipoxvirus. Todas as espécies de aves são susceptíveis a doença, em nosso âmbito, as espécies de maior interesse são os canários, exóticos estrildaes (diamantes, mandarins,bicolor etc), bicudos, curiós, pintassilgos, periquitos, papagaios... enfim. Na avicultura industrial, ou seja, nas granjas produtoras de frangos de corte ou galinhas poedeiras a doença é uma das principais causadoras de danos à saúde das aves e prejuízos aos produtores. O Poxvirus pode ser transmitido de diversas maneiras desde o contato direto com uma ave infectada, até mesmo por fômites contaminados, mas a via mais importante é através dos vetores biológicos mais precisamente o pernilongo.
Quando um pernilongo se alimenta com o sangue de uma ave infectada ele pode carregar o vírus e infectar novas aves ao se alimentar por sua vez das mesmas. Por essa razão é fácil observar principalmente canários que aparecem com uma inflamação em um dedo logo diagnosticado pelo criador como picada de pernilongo, mas após algum tempo evolui para uma lesão tumefacta, eritematosa e hemorrágica muitas vezes levando o individuo à infecções secundarias e até hemorragias profusas que culminam com a morte da ave. A doença pode se manifestar de duas formas diversas: a cutânea e a diftérica. Na forma cutânea a ave apresenta lesões semelhantes a tumores, com bastante inflamação e ulceração da epiderme provocando muitas vezes sangramentos os locais mais acometidos são a região periocular, comissura labial, pontas dos dedos ou mesmo toda a pata. A forma diftérica é muito mais grave, pois as lesões são internas geralmente no aparelho digestório e até respiratório, na forma de lesões ulceradas em língua esôfago, intestino enfim, a ave acometida pela forma cutânea pode evoluir também para a forma diftérica, normalmente a sobrevida é próxima de zero nesses casos.
O tratamento da forma cutânea é baseado em aplicação de anti-sépticos tópicos como clorexidine, povidine ou mesmo violeta genciana, acompanhado de tratamento oral a base de antibióticos para evitar infecções por bactérias oportunistas a administração de suplementos vitamínicos é muito importante para reforçar o sistema imunológico da ave ajudando na cura e na reparação dos tecidos afetados.
Muitos criadores utilizam um fototerápico a base de Thuya encontrado em qualquer Petshop apesar de muito referirem melhora após o uso deste fototerápico alguns trabalhos científicos realizados não comprovaram sua eficácia no tratamento da Varíola aviaria. As aves acometidas pela forma diftérica podem ser tratadas segundo o mesmo esquema, no entanto infelizmente evoluem para o óbito rapidamente por não conseguirem se alimentar graças às lesões no aparelho digestivo, sem que se possa fazer nada para intervir!
A melhor maneira de combater a doença é através da prevenção essa deve se dar por algumas ações:
» Utilizar telas finas em todas as janelas e portas do criatório para evitar entrada de insetos vetores e aves silvestres;
» Realizar sempre quarentenas na compra de aves ou retorno de aves do criadouro de exposições ou casa de outros criadores;
» Desinfetar gaiolas, comedouros, bebedouros e demais utensílios que provenham de outros criatórios ou exposições;
- Vacinar as aves anualmente, esse é um capitulo a parte e deve ser bem discutido com seu veterinário existem algumas vacinas contra bouba desenvolvidas para pombos que podem ser usadas em canários o ideal, no entanto é procurar um profissional experiente para montar um esquema vacinal em sua criação.

As medidas de prevenção já são mais do que suficientes para um bom controle da doença, basta seguir as recomendações à risca.

Agradecimentos.:
» Dr Bruno Pietroluongo - Medico Veterinário especialista em aves
» Membros do Clube dos Psitacídeos®

2 Comentários:

Unknown disse...

Meu pássaro nasceu o que parece uma verruga perto do olho. Pesquisei na internet e pelos sintomas tudo indica que seja varíola. Na minha cidade não tem especialista em aves, como devo proceder?

Antonio Silva disse...

Favor informar o e-mail para receber a Resposta.

Postar um comentário

  ©Veterinário de Aves Exóticas e Silvestres. - Todos os direitos reservados.

Template by Clube dos Psitacídeos® | Topo