Artigo do Mês » Guia prático de Gerenciamento de Canaril

Internação de Animais Silvestres

Internação de Animais Silvestres

Apresentação:

Devido à falta de um local com assistência 24 horas especializada em animais silvestres, achei conveniente ajudar aos colegas e, como consequência, oferecer um tratamento especializado com muita dedicação, técnica e respeito.

Local:

A internação é realizada em ambiente residencial  apropriado em São Caetano do Sul, exclusivamente para animais silvestres, com temperatura e umidade adequados para cada espécie.
Possuo capacidade limitada para promover uma assistência de qualidade e priorizo a saúde e integridade de cada animal, pensando sempre em evitar contaminação e acidentes.

Quando internar:

Sabe-se que os animais silvestres possuem recaídas instantâneas e prognóstico reservado quando apresentam  sintomas clínicos.
Sabe-se também que é contra-indicado tratamento oral, já que é estressante e incerto durante à administração, sendo necessário o tratamento parenteral.
Sugestão de situações para internação:

Doença de Trato Respiratório

Aves: aerossaculite, sinusites, pneumonias bacterianas ou fúngicas, etc.

Répteis/ Ferret / Primatas: pneumonias

Roedores e Lagomorfos: sinusites, pneumonias, trauma em coluna cervical

Doença de Trato Digestório

Aves: candidíase, megabacteriose, coccidiose, lipisode hepática, etc.

Répteis: lipidose hepática, diarréias, anorexia crônica, estomatite, etc.

Lagomorfos e Roedores: lipidose hepática, diarréias, obstrução gastro-intestinal, estase gástrica, etc.

Primatas: diarréias, anorexia crônica, vômitos, etc.

Férrets: síndrome adrenal ou pancreática.

Doença de Trato Gênito - urinário

Aves: distocia, insuficiência renal

Répteis: distocia, cálculo vesical

Roedores e Lagomorfos: complicações da gestação (eclâmpsia), piometra, neoplasia mamária/uterina

Primatas: complicações da gestação (eclâmpsia, retenção de feto)

Doença Dermatológica

Aves / Lagomorfos / Roedores: pododermatites, infecções de pele graves, etc.

Répteis: fraturas de casco, queimaduras, lascerações, etc.

Pós-cirurgico: para todas as espécies.


Objetivo:

Meu objetivo é criar um elo com o clínico que atende essas espécies, para facilitar e otimizar a resolução da doença, bem como ajudá-lo a adquirir mais confiança da parte dos proprietários, ajudando-o a explorar essa área tão promissora.
Assim, os médicos veterinários que não possuem espaço em suas clínicas ou residências podem encaminar seus animais com o protocolo clínico, havendo total lealdade e ética da minha parte.
Além disso, o colega receberá uma porcentagem da internação, que será calculada dependendo da forma de pagamento do proprietário.


Como funciona:

O clínico deve escever uma carta de encaminhamento para viabilizar o processo de internação. Caso o proprietário deseja internar o animal por conta, sem recomendação, o clínico será informado.

Junto à carta de encaminhamento, deve mandar um relatório com o protocolo clínico a ser realizado. Caso queira, pode me autorizar a realizar o protocolo que eu julgar importante.

O proprietário pode trazer o animal ao local da internação ou pode contratar o serviço de transporte, que será cobrado á vista e á parte.

Devem conter em mãos um documento com RG e CPF, para preenchimento do documento de hospedagem, além da ração e objetos do animal.

No término da internação, o clínico será informado e o proprietário será re-encaminhado.
O pagamento da porcentagem será realizado no final do pagamento da internação.

Valores:

O preço da internação vai variar de acordo com a espécie e patologia.
Faça um orçamento!

Continue lendo >>

  ©Veterinário de Aves Exóticas e Silvestres. - Todos os direitos reservados.

Template by Clube dos Psitacídeos® | Topo